Yattó - Economia Circular
- BLOG YATTÓ

Como a Sustentabilidade e as Metas ESG estão Redefinindo a Indústria de Embalagens

O novo perfil de consumidor 

Nos últimos anos, a conscientização ambiental e social tornou-se um fator determinante nas decisões de compra dos consumidores. Uma pesquisa da Nielsen revela que 73% dos consumidores globais afirmam que mudariam seus hábitos de consumo para reduzir o impacto ambiental​​. Esse comportamento é especialmente forte entre os millennials e a geração Z, que valorizam a transparência e o compromisso das marcas com a sustentabilidade.

Além disso, um estudo da IBM descobriu que 62% dos consumidores estão dispostos a mudar seus hábitos de compra para reduzir o impacto ambiental negativo​. Essa mudança no comportamento do consumidor está pressionando as empresas a adotarem práticas mais sustentáveis e a repensarem suas estratégias de mercado para se manterem relevantes e competitivas.

As metas ESG (Environmental, Social, and Governance) estão se tornando um requisito essencial para empresas que desejam atrair investimentos e fidelizar clientes. Um relatório da PwC destacou que 79% dos investidores acreditam que a gestão de riscos ESG deve ser uma prioridade para as empresas, e 49% afirmam que estariam dispostos a vender suas ações se uma empresa não estivesse tomando medidas suficientes em relação aos riscos ESG.

Empresas que adotam práticas sustentáveis não só atendem às expectativas dos consumidores, mas também se beneficiam de custos operacionais reduzidos, acesso a novos mercados e melhor reputação. Por exemplo, a Unilever reportou que suas marcas sustentáveis cresceram 69% mais rápido do que o resto do negócio e representaram 75% do crescimento total da empresa em 2019.

 

Repensando as embalagens atuais

Uma das formas mais eficazes de promover a sustentabilidade nas embalagens é investir em embalagens monomateriais, por serem mais fáceis de reciclar. Ou seja, embalagens feitas de um único tipo de material, como polietileno ou polipropileno, simplificam o processo de reciclagem e aumentam as taxas de recuperação.

Além disso, a adoção de monomateriais pode ter um impacto significativo na redução das emissões de carbono. Por exemplo, um estudo da European Plastics Converters (EuPC) mostrou que a substituição de materiais compostos por monomateriais pode reduzir as emissões de CO2 em até 30%. Essa mudança não apenas contribui para a proteção ambiental, mas também pode ser usada como um forte argumento de venda pelos fabricantes de embalagens para as marcas, destacando o compromisso de ambos com a sustentabilidade.

As vantagens são inquestionáveis, mas a implementação de embalagens monomateriais por si só não garante que elas serão recicladas. Para assegurar um ciclo mais sustentável, é crucial complementar essa abordagem com práticas robustas de logística reversa. Aqui na Yattó, nossa expertise está no planejamento e estruturação de soluções de logística e economia circular. Por isso, sempre reiteramos que soluções mais sustentáveis envolvem práticas de logística reversa para garantir que as embalagens, uma vez utilizadas, retornem ao ciclo produtivo. Isso facilita a reciclagem e maximiza a eficiência do uso de recursos, contribuindo para um modelo mais sustentável e circular.

Investir em sustentabilidade e programas voltados para logística reversa e economia circular pode exigir um custo inicial alto, mas os benefícios a longo prazo superam os investimentos. De acordo com um estudo da McKinsey, empresas com fortes práticas ESG têm um custo de capital 10% menor do que aquelas com práticas ESG fracas. Além disso, uma pesquisa da Harvard Business School descobriu que empresas com altas pontuações em sustentabilidade têm um desempenho financeiro significativamente melhor a longo prazo.

Fabricantes de embalagens que se envolvem ativamente com os brand owners para desenvolver embalagens sustentáveis, obtêm resultados muito mais positivos do que se tentassem sozinhos. Essa parceria não só fortalece a relação entre fabricantes e brand owners, mas também cria uma vantagem competitiva no mercado para ambos, uma vez que as metas ESG estão redefinindo a indústria, impulsionadas por consumidores mais conscientes e exigentes. Logo, empresas que consideram seu impacto ambiental são percebidas como líderes inovadores e responsáveis, contribuindo organicamente para a melhora na reputação e o aumento de vendas com clientes mais leais.

Se você deseja ajuda para repensar a fabricação de embalagens e implementar soluções de logística reversa que atendam aos critérios de grandes marcas para vender mais, converse com os nossos especialistas para entender quais estratégias utilizamos em nossos programas na Yattó.

Alexandre Galana
CEO na Yattó
Deseja saber mais sobre os serviços da Yattó? 
Compartilhe
Comunicação Yattó
Gabrielle Maia
Assessoria de Imprensa
Ecomunica